Bruna Dias

Bruna aprendeu a desenhar com a avó; começou com rostos de personalidades. Depois aprendeu a sombrear e a observar os detalhes nos traços e a reproduzir expressões.

A arte, para Bruna, é abstração. É o momento em que pode escapar da conflituosa realidade. Não quer criar, porque criação é exposição. Quer ver e reproduzir, enquanto descansa a mente na busca pela perfeição.

Desenhar não é obrigação. Bruna gosta de ter seu tempo para retratar os rostos que a cercam. O desenho surge da delicadeza e da paciência.


BRUNA DIAS
b.brudias@gmail.com

instagram: /brrudias

“Círculo de Sangue”, ilustração do segundo capítulo