Selma Albiero

Selma acredita que não escolhemos os nossos dons, somos escolhidos por eles. Descobrimos que somos capazes de pintar telas, de dar forma a uma escultura. É algo intrínseco. A criação tem vida própria, mas é ela quem dá a vida, transformando aquilo que faz em seus próprios filhos.

Sua ilustração para o PANGEIA foi um exercício de empatia. Ao desenhar os traços de cada personagem, imaginava também os sentimentos expressos por tal traço e de onde eles vinham. Enquanto criou, Selma foi aquilo que ilustrou.

“Vislumbrei o que é que sente alguém que perde sua casa, sua vida… Em certos momentos, a emoção foi tanta, que tive que parar um pouco o processo de criação e me recuperar”.


SELMA ALBIERO
www.behance.net/selmaalbiero

“Círculo de Fogo”, ilustração do sétimo capítulo